12 maio, 2009

Surfe quebra preconceitos


Muitas pessoas acham que o surfe quebrou o preconceito de ser chamado de atividade de vagabundo e se transformou num esporte exclusivo de competições.Além de competir, porém, o surfista se diverte quando pega onda. Muitos (a maioria, na verdade) se quer competem. Utilizam o surfe apenas como lazer. Como esporte saudável.


Ótimo para a coordenação motora, para relaxar e afastar o stress, o surfe se tornou, sem Santos, um esporte querido por toda a população. Quem antes via o surfe com maus olhos, hoje pratica o esporte como terapia. É o caso dos idosos, que hoje têm aulas de surf gratuita, no posto 2.

O surfe ganhou os santistas de tal maneira que algumas escolas da região incrementaram o surfe na disciplina de educação física. Ontem, trinta alunos da escola Therezinha de Jesus participaram do projeto “Omelca de surfterapia”. Eles tiveram aula teórica e prática de surf na Escola Radical, no posto2.

2 comentários:

Philipe disse...

adorei o blogao

Marcelo Silva de Andrade disse...

Estou pesquisando assuntos sobre surf em Praia Grande e não consigo encontrar nenhuma iniciativa como as que acontece em Santos, certa vez etava almoçando com uma pessoa muito importante da cidade de Santos e este me fez comentários desdenhando da cidade de Praia Grande, fiquei imaginando, será que existe também esta "diferenciação" entre os surfistas (SAntos X Praia Grande.
Tenho 37 anos e recentemente adquiri um Kit no Boqueirão, sempre tive vontade aprender a Surfar, ai resolvi comprar uma prancha, vou tentar cair na água no proximo fim de semana, porém não encontro nenhuma escola de
Surf na região. Deixo aqui meus comentários intristecido pela falta de iniciativa do Surfe em Praia Grande.